Tomorrow : Acting for a change in the world and in Porto // Amanhã: Actuar para uma mudança no mundo e no Porto

 

img_7771Our last and third event took place last Tuesday, on the 13d of December. As usual, we organized it in collaboration with Leonor and her Storyboard Café and, we don’t want to brag, but once again the room was full! Thanks again to those who helped us share the event.  

As for our first event, we chose to share a movie that we like. However, this time we chose a film a bit more serious and reflexive than the Gilded Cage.

O nosso último e terceiro evento aconteceu no dia 13 de dezembro. Como de costume, organizámo-lo em colaboração com a Leonor no Storyboard Café e, sem nos querermos vangloriar, mas mais uma vez a sala estava cheia! Antes de mais, gostaríamos de agradecer novamente a todos aqueles que nos ajudaram a compartilhar o evento.

Tal como no nosso primeiro evento, optámos por partilhar um filme que achamos interessante – “A Gaiola Dourada”. No entanto, desta vez, escolhemos um filme / documentário um pouco mais sério e reflexivo comparativamente com o anterior.

About the documentary “Tomorrow”

Sobre o documentário “Amanhã”

tomorrow

 “Tomorrow”(2015) is a French documentary directed by Cyril Dion and Mélanie Laurent. Co-funded through the participative platform Kisskissbankbank (450 000 € with 10 000 donators), it relates various local initiatives aiming at making the world “better”:  more sustainable, inclusive and democratic. The initiatives are divided in 5 chapters: agriculture (ex: urban agriculture in Detroit, permaculture) energy (ex: use of renewable energies in Copenhagen), economy (ex: local currency used by SME in Switzerland), democracy (ex: use of random draw in Iceland) and education (ex: pedagogical approaches in Finland).

“Amanhã” (2015) é um documentário francês realizado por Cyril Dion e Mélanie Laurent. Co-financiado através da plataforma participativa Kisskissbankbank (450,000.00€ e com cerca de 10 000 doadores), este documentário contou com várias iniciativas locais cujo objetivo era tornar o mundo “melhor”: mais sustentável, inclusivo e democrático. As iniciativas estão divididas em 5 capítulos: agricultura (ex: agricultura urbana em Detroit) energia (ex: uso de energias renováveis em Copenhaga), economia (ex: moeda local usada pelas PME na Suíça), democracia (ex: sorteio na Islândia) e educação (ex: abordagens pedagógicas e inovadoras na Finlândia).

One of the main ideas that is conveyed by “Tomorrow” is that we have to go back to a development model that leaves more space to the diversity of local ecosystems, whether they are natural, economic, social or civic. 

The documentary had a remarkable success in France, with more than 1 million of tickets of cinema sold, and most of the critics were positive, even though some point out the superficiality of the analysis and their excess of optimism for local solutions. These critics are in our opinion justified, nevertheless we think that this feel-good-eco-movie reached its main goal: encouraging action, fighting fatalism, making ecology, renewables energies, bio agricultural etc look both normal and “sexy”.

Uma das ideias principais transmitidas por “Amanhã” é que devemos retornar a um modelo de desenvolvimento que dê mais espaço à diversidade dos ecossistemas locais e que, preferencialmente, sejam mais naturais, económicos, sociais ou cívicos.

O documentário teve um sucesso importante em França, com mais de um milhão de bilhetes de vendidos. Adicionalmente, a maioria das críticas foram positivas – embora algumas delas destaquem a superficialidade da análise e o seu excesso de otimismo para soluções locais. Essas críticas são, na nossa opinião, justificadas. No entanto pensamos que este “eco-feel-good-movie” atingiu o seu principal objetivo: incentivar à acção, combater o fatalismo, e convertendo como normais e atraentes conceitos como “ecologia”, “energias renováveis”, “agricultura biológica”, etc…

 “The movie seems to awaken something among French people. It reconciles them with the future. The announcement of catastrophes comes with fear, denial, but with the movie we give legitimacy and courage to those who act”. Cyril Dion

“Men need to create some meaning and build fictions to survive. Today we have to replace the consumerism and technology-oriented story-telling of post WW2”. C.D. 

 “O documentário pareceu despertar algo nos franceses. Ele reconcilia-os com o futuro. O anúncio de catástrofes traz o medo, a negação; mas com este documentário damos legitimidade e coragem aos que atuam “. Cyril Dion

“A humanidade precisa de criar sentido através da construção de ficções para sobreviver. Hoje temos de substituir a narrativa do consumismo e da tecnologia do pós-WW2” C.D.

We decided to share this dose of optimism for out last event of 2016, and because one of our goal is also to set our action in our local context, Porto, we invited several local associations and a public company, to present their own projects. The idea was to have a talk with these 6 organizations around the themes of the movie and we had many questions in mind: how do local public institutions and associations work or could work together ? What are the means and difficulties to reach the citizens and change some of their behaviors?…

Unfortunately, each project’s presentation lasted around 10/15 minutes, way more than the 5 that we had planned, and at midnight it was a bit late to start a debate… Anyway, it’s a good lesson for the future and we were glad that most of the participants found the movie inspiring.

Decidimos partilhar esta dose de optimismo para o nosso último evento de 2016, e porque um dos nossos objetivos consiste em inscrever a nossa acção no nosso contexto local, o Porto. Para o efeito, convidámos várias associações locais e uma empresa pública, às quais propusemos que apresentassem os seus próprios projetos. A ideia era ter uma conversa com essas seis organizações sobre os temas do documentário; e, claro, que tínhamos muitas perguntas em mente. Por exemplo, como é que as instituições e as associações públicas locais trabalham ou poderiam trabalhar juntas? Quais são os meios e dificuldades para alcançar os cidadãos e mudar alguns dos seus comportamentos? Etc…

Infelizmente, a apresentação de cada projeto durou cerca de 10/15 minutos, muito mais do que os 5 minutos que tínhamos planeado; e à meia-noite pareceu-nos um pouco tarde para iniciar um debate… De qualquer forma, foi uma boa lição para o futuro e ficamos contentes que a maioria dos participantes tenha achado o filme inspirador.

Protecting the environment and promoting urban agriculture in Porto

Protecção do ambiente e promoção da agricultura urbana no Porto

2 of the projects that we invited are working on developing urban and biological agriculture in Porto.

Dois dos projetos que convidámos estão a trabalhar no desenvolvimento da agricultura urbana e biológica no Porto.

A few elements about Urban Agriculture in Porto

Definition or Urban Agriculture (UA): “the agriculture practiced inside (intra-urban agriculture) or on the outskirts (peri-urban agriculture) of spatial contexts that are perceived as “urban”, covering all stakeholders, communities, activities, places and economies that focus on the production of bio-based. ” Action COST – Urban Agriculture Europe (2013).

In her dissertation about the integration of UA in Urban planning in Porto, Joana Leal notes that “the current model in Porto is based preferably on the support, by the Municipality of Porto,  in partnership with LIPOR, of the actions of associations / institutions that want to boost UA projects in the city, providing for that purpose, municipal land under lease or in some cases on loan.”.

The main threat identified by the 15 managers of urban agriculture spaces in Porto she interviewed is related to the urban “pressures“, in the areas of consolidation or expansion of the urban area and the possible real estate speculation. She also underlines the fact that the demand for urban agricultural spaces largely exceeds the supply.

Alguns elementos sobre a Agricultura Urbana no Porto

Definição da Agricultura Urbana (AU): «a agricultura praticada no interior (agricultura intra-urbana) ou nos arredores (agricultura periurbana) de contextos espaciais que são percebidos como “urbanos”, abrangendo todas as partes interessadas, comunidades, atividades, lugares e economias que se concentrem na produção de produtos biológicos.» Action COST – Urban Agriculture Europe (2013).

Na sua dissertação sobre a integração da AU no Planeamento Urbano do Porto, Joana Leal assinala que «o atual modelo no Porto baseia-se preferencialmente no apoio, pelo Município do Porto, em parceria com a LIPOR, às acções de associações / instituições que querem impulsionar projetos de AU na cidade, fornecendo, para o efeito, terrenos municipais para arrendamento ou, em alguns casos, por empréstimo».

A principal ameaça identificada pelos 15 gestores de espaços de agricultura urbana que ela entrevistou está relacionada com as “pressões” urbanas, nas áreas de consolidação ou de expansão da área urbana e da possível especulação imobiliária. Ela sublinhou também, que a demanda por espaços agrícolas urbanos excede largamente a oferta.

See more about urban agriculture in Portugal:

Horta de Formiga (LIPOR)

Susana Freitas represented LIPOR, the intermunicipal public company that is charge of the waste management, valorization and treatment of the Great Porto, which counts 8 municipalities. 

Susana Freitas representou a LIPOR – Serviço Intermunicipalizado de Gestão de Resíduos do Grande Porto – entidade responsável pela gestão, tratamento e valorização dos resíduos urbanos produzidos pelos oito municípios que a integram: Espinho, Gondomar, Maia, Matosinhos, Porto, Póvoa de Varzim, Valongo e Vila do Conde.

lipor

More specifically she works inside LIPOR’s environmental education project, called “Horta de Formiga”(= the ant’s garden), launched in 2002.

The idea of LIPOR to educate citizens and institutions, raise awareness about environmental issues and favor the implementation of good practices.

Concretely the Horta da Formiga is a space, located in Baguim do Monte, in which a garden and a small farm have been developed and where workshops are organized to help participants have more sustainable behaviors, in relation to waste management but also to urban agriculture.

Como complemento à atividade de gestão de resíduos, a Lipor tem um vasto trabalho de sensibilização e consciencialização da população com vista a uma mudança de comportamento em matéria de resíduos. No caso dos resíduos orgânicos, foi criado em 2002 o espaço da “Horta da Formiga” cujo objetivo é disseminar práticas mais sustentáveis junto do cidadão urbano nas áreas da agricultura/jardinagem biológica, da compostagem caseira e do desperdício alimentar”, com vista à prevenção da produção de resíduos.

img_7777
Susana Freitas, LIPOR

In 14 years, 4 sub-projects have been developed:

  • Home Composting: Horta da Formiga was originally born with the objective to educate citizens to compost at home. Regularly Horta da Formiga organizes workshops, in different places of the Greater Porto, to teach people how to compost.
  • Biological agriculture: following the objective of promoting a healthy and sustainable way of producing food, LIPOR, through Horta da Formiga, has been structuring the metropolitan policy of urban agricultural spaces development, in collaboration with local entities. The idea is to promote the developement of these spaces and provide 25 m2 plots to citizens willing to grow food products, under the condition that they respect LIPOR’s environmental standards. Today this project represent 46 gardens and 1466 plots all around the Great Porto, a number that remains insufficient to meet the demand, since 3800 people are currently on the waiting list. 
  • Sustainable gardening: this project, developed more recently, aims at spreading agricultural good practices in all green spaces, public or private, of the cities. Citizens can sign a commitment card that allows them to have access to Horta da Formiga’s network and resources. 
  • Food waste: as Susana Freitas reminded, 40% of the waste produced in the Great Porto is organic. This project’s objective is thus to reduce waste production as its source by sensibilizing the population to food waste reduction. For now, it is developed in restaurants and may be extended to families in the future.

Em 14 anos, foram desenvolvidos quatro projectos, gratuitos, associados ao conceito da Horta da Formiga:

  • Compostagem caseira: pretende-se reduzir os resíduos orgânicos ao nível das habitações, prédios e instituições da área de intervenção da Lipor, como forma de desviar esta fração dos resíduos indiferenciados. Regularmente são organizados workshops em diferentes locais dos oito municípios, onde se explica o processo de compostagem caseira e são atribuídos compostores a quem reúne as condições do projeto.
  • Agricultura biológica: criação de espaços verdes dinâmicos e úteis, promovendo a biodiversidade e boas práticas agrícolas, através da compostagem caseira e agricultura biológica. Na prática, este projeto disponibiliza talhões de no mínimo 25m2 aos cidadãos interessados em praticar a agricultura biológica e a compostagem. Ao receber o talhão de terreno, os futuros agricultores recebem também formação em agricultura de modo biológico (para amadores!). Os produtos são para consumo próprio, é disponibilizada água e um local para armazenar as ferramentas. É ainda disponibilizado um compostor individual ou compostor comunitário. Hoje em dia, este projeto representa 50 hortas (≈11 ha) e 1656 talhões, um número que continua a ser insuficiente para satisfazer a procura: 2 800 pessoas estão atualmente na lista de espera.
  • Jardinagem Sustentável e Biodiversidade: este projeto, desenvolvido mais recentemente, tem como objetivo a difusão de técnicas de agricultura biológica e de boas práticas de manutenção em todos os espaços verdes, públicos ou privados, do território, eliminando a utilização de produtos químicos de síntese Os cidadãos podem obter um cartão de compromisso que lhes permite ter acesso à rede e aos recursos da Horta da Formiga.
  • Desperdício alimentar: tal como recordou a Susana Freitas, cerca de 40% dos resíduos produzidos no Grande Porto são orgânicos. O objetivo deste projeto é, portanto, reduzir a produção de resíduos alimentares e consequentemente o desperdício de alimentos. Procura-se uma mudança de comportamentos nos estabelecimentos de restauração (restaurantes e cantinas) e do cidadão (Workshops, Dicas, ferramentas digitais).

 

Contactos:

info@lipor.pt

R. Morena 805, 4435-996 Baguim do Monte, Portugal

http://www.lipor.pt/pt/educacao-ambiental/horta-da-formiga/

https://www.facebook.com/LiporGestaoResiduo/?fref=ts

https://www.facebook.com/HortadaFormiga/

 

Horta “Quinta Musas da Fontinha”

A few local associations have also created and developed urban agriculture spaces in Porto. It is the case of the Espaço Musas, originally a sport and chess association, located very near from Faria Guimarães metro station.

Algumas associações locais também criaram e desenvolveram espaços de agricultura urbana no Porto. É o caso do Espaço Musas, que era originalmente uma associação desportiva (pratica sobretudo xadrez), situada muito perto da estação de metro Faria Guimarães.

img_7817
Luis Chambel, Espaço Musas

Around 8 years ago the association started a new project, the Horta “Quinta Musas da Fontinha”, that we already mentioned in this blog. The idea was to use the garden in the backyard of their building to cultivate biological products by making the plots available for associations interested in doing so. With time they extended the space to some parcels belonging to the municipality and to their neighbors, who prefer to see their land cultivated than abandoned. 

Há cerca de oito anos atrás, a associação iniciou um novo projeto, a Horta “Quinta Musas da Fontinha”, que já mencionámos neste blog. A ideia era usar o seu quintal deles para cultivar produtos biológicos, tornando os talões disponíveis para as pessoas interessadas. Posteriormente, iriam expandir o espaço às parcelas vizinhas, que pertencem ao município e aos vizinhos, que preferem ver as suas terras cultivadas em vez de abandonadas.

musas

If you’re interested in knowing more about the project and the place but don’t want to become a member you can still participate in the events that they sometimes organize, like for instance the “Disco Soup”, in collaboration with Casa da Horta.

Se está interessado/a em saber mais sobre o projeto e sobre o lugar, mas não quer se tornar membro/a, ainda pode participar nos eventos que por vezes esta organização promove, como por exemplo  a “Disco Soup” realizada recentemente  em colaboração com a Casa da Horta.

Contactos:

quintamusasdafontinha@gmail.com

Rua do Bonjardim, 998, Porto

https://www.facebook.com/hortaquintamusasdafontinha/?fref=ts

http://musas.pegada.net/

 

Urban Rehabilitation in Porto

Reabilitação Urbana no Porto

3 of the projects we invited have developed different approaches to adress the question of urban rehabilitation. Habitar Porto aims at encouraging rehabilitation by being a facilitator among the various actors involved and by working in proximity with the local population. Critical Concrete’s idea is to rehabilitate houses and public spaces through educational programs. The 3d one, the Worst Tours, adresses it in a more indirect way, by raising awareness about it during the tours of the city they organize. 

Três dos projetos que convidámos desenvolveram diferentes abordagens da questão da reabilitação urbana. O Habitar Porto tem como objetivo incentivar a reabilitação, sendo um facilitador entre os vários atores envolvidos e trabalhando em proximidade com a população local. A ideia da Critical Concrete é reabilitar casas e espaços públicos através de programas educacionais. O 3º, os Worst Tours, aborda-o duma forma mais indirecta, através da sensibilização sobre o assunto durante os passeios da cidade que organizam.

A few elements about Urban Rehabilitation in Porto

The centre of Porto has been declining for many years. Its population has been diminishing gradually since the 1960s, whereas at the same time the AMP (Metropolitan Area of Porto) started growing endlessly and rising in importance as a principal component of the national urban system. For example, in the 10-year period 1991– 2001, Porto’s population shrank by 40,000 despite the fact that it increased by 133,000 throughout the remainder of the AMP.” Evaluating the Impacts of Urban Regeneration Companies in Portugal: The Case of Porto, Luís Neto, Nuno Pinto & Malcolm Burns

The abandonment of the city center went hand in hand with the ongoing degradation or its buildings. Recently there has been a move towards a rehabilitation of the city center, notably with the creation of the Urban Rehabilitation Society, PortoVivo, in 2004, which, according to Luís Neto and co has been quite efficient.

But the recent rehabilitation process of the center is also very linked to the tremendous tourism growth that dates back to 5 or 6 years. Indeed tourism is an incentive to rehabilitate the city (rehabilitate to rent in AIrBnB for instance) and, in the other way around, rehabilitation can be a way to increase tourism. However this phenomenon raises important questions in terms of urban, social and economic outcomes for the local community.  Several local actors are questioning the actual tourism policy, stating that it is not socially, democratically, and even economically  relevant that urban rehabilitation be directed mostly to the tourism industry. 

Alguns elementos sobre a Reabilitação Urbana no Porto

O centro do Porto tem declinado  há muitos anos, a sua população tem diminuído gradualmente desde os anos 60, enquanto ao mesmo tempo a ZMP (Zona Metropolitana do Porto) começou a crescer sem cessar e ganhar importância como componente principal da política urbana nacional. Por exemplo, no período de 10 anos de 1991 a 2001, a população do Porto diminuiu de 40 mil, apesar do aumento de 133.000 da AMP “. Avaliação dos Impactos das Empresas de Regeneração Urbana em Portugal: O Caso do Porto, Luís Neto, Nuno Pinto e Malcolm Burns

O abandono do centro da cidade foi acompanhado da contínua degradação dos seus edifícios. Recentemente, tem havido um movimento de reabilitação do centro da cidade, nomeadamente com a criação da Sociedade de Reabilitação Urbana, PortoVivo, em 2004, que, segundo Luís Neto, tem sido bastante eficiente.

Mas este recente processo de reabilitação do centro está também muito ligado ao crescimento forte do turismo que começou há cinco ou seis anos. Com efeito, o turismo é um incentivo para reabilitar a cidade e, no sentido inverso, a reabilitação pode ser uma forma de aumentar o turismo. No entanto, esse fenómeno levanta questões importantes sobre os seus impactos sociais, urbanas e económicos sobre a comunidade local. Vários atores locais interrogam a política atual de turismo, afirmando que não é pertinente e justo que a reabilitação urbana seja dirigida principalmente à indústria do turismo.

See more about urban rehabilitation in Porto:

Habitar Porto

Habitar Porto is an association created around one year ago and coordinated by Liliana Lopes and Aitor Varea Oro, a spanish architect, who was with us on Tuesday. The rest of the team is made of two social workers, three architects and one civil engineer.

A Habitar Porto é uma associação criada há cerca de um ano, coordenada por a Liliana Lopes e o Aitor Varea Oro, um arquiteto espanhol, que esteve connosco na terça-feira passada. O resto da equipa é formada por dois assistentes sociais, três arquitetos e um engenheiro civil.

img_7829
Aitor Vareo Oro

Originally the project was called Habitar Bonfim, as it was born in the neighborhood of Bonfim, located in the east part of the city center. Bonfim has indeed a very high rate of vacant houses, almost 20% and its district municipality, the Junta de Freguesia do Bonfim, has been supporting the project since the beginning. 

Originalmente o projeto foi chamado Habitar Bonfim, já que nasceu no bairro do Bonfim, localizado na parte leste do centro da cidade. O Bonfim tem, com efeito, uma taxa muito elevada de casas desocupadas, cerca de 20%, e a Junta de Freguesia do Bonfim, tem apoiado o projeto desde o início.

bonfim
% of vacant housing (source: Habitar Porto, INE)

We are aware of this movement to the periphery and to reverse it is a priority. This is why we support the projectJosé Manuel Carvalho, President of the Junta de Freguesia do Bonfim

Temos consciência dessa deslocalização para a periferia e reverter essa saída é uma prioridade. Por isso apoiamos este projeto”, José Manuel Carvalho, Presidente da Junta de Freguesia do Bonfim

Habitar Porto’s project started from the following analysis:

O projeto da Habitar Porto começou a partir da seguinte análise:

 “An important part  of the problem lies down in the complexity or urban rehablitation processes, which implies rehabilitation operations with high prices that exclude from the market potential tenants but also owners who can’t profit from their patrimony. A situation that leads to the non-use of the housing sector, which renovation would create employment in the construction area and would revitalize the city socially and economically.” Habitar Porto

Conjuntamente identificou-se que grande parte do problema reside na complexidade dos processos de reabilitação urbana, que se traduz em preços elevados das operações de recuperação que excluem do mercado os inquilinos mas também os proprietários, que não podem usufruir dum património. Uma situação que provoca o desaproveitamento dum parque habitacional cuja recuperação contribuiria para criar emprego na área da construção e para revitalizar a cidade económica e socialmente.” Habitar Porto

Thus, the principle of Habitar Porto is to facilitate the implementation of rehabilitation processes mainly through support and networking between the main stakeholders of rehabilitation process, tenants, owners and construction workers:  

  • Providing information about the programs of financial support that already exist;
  • Providing bureaucratic support during the process of applying for a program;
  • Giving access to a network of specialists in the areas of social support and construction;
  • Making owners and tenants meet and promoting “collaborative strategies”: when the owner provides the housing for free or a very low rent in exchange of the realization of rehabilitation works by the tenant. 

In order to meet its objective of proximity with the population, Habitar is hosted by the Freguesia do Bonfim 3 mornings a week to welcome the public.

In his presentation, Aitor underlined that the support of local public institutions, as the Freguesia do Bonfim and the Municipality of Porto, is essential for the project, as well as the collaboration with various local actors: associations, construction workers, social workers etc. 

Assim, o princípio da Habitar Porto é facilitar a implementação dos processos de reabilitação, principalmente através dum apoio técnico e da articulação entre as principais partes interessadas do processo de reabilitação, inquilinos, proprietários e trabalhadores da construção civil:

  • Fornecer informações sobre os programas de apoio financeiro já existentes;
  • Prestar apoio burocrático durante o processo de candidatura a um programa;
  • Dar acesso a uma rede de especialistas nas áreas do apoio social e da construção;
  • Ajudar os proprietários e inquilinos a encontrar-se e promover “estratégias colaborativas“: quando o proprietário oferece a habitação gratuitamente ou a uma renda muito baixa em troca da realização de obras de reabilitação pelo inquilino.

Para cumprir o seu objectivo de proximidade com a população, a Habitar é acolhida pela Freguesia do Bonfim três manhãs por semana para receber o público.

Na sua apresentação, Aitor sublinhou que o apoio das instituições públicas locais, como a Freguesia do Bonfim e a Câmara Municipal do Porto, é essencial ao projecto, bem como a colaboração com vários actores locais: associações, trabalhadores da construção civil, assistentes sociais etc…

Contactos: 

info@programahabitar.org

https://habitarporto.org/

https://www.facebook.com/habitarporto/

 Critical Concrete

Critical Concrete is also a very recent association, created by Samuel Kalika, a 33 years-old French, who left Berlin to build a new project from scratch in Porto.

A Critical Concrete é também uma associação recente, criada por Samuel Kalika, um francês de 33 anos, que deixou Berlim para construir um novo projeto no Porto.

img_7783
Samuel Kalika

Critical Concrete’s ambition is « to provide an alternative way of teaching, learning and creating architecture, art and design.” As Samuel explained, the project, can be divided into 2 dimensions:

  • Rehabilitating socially relevant houses or public spaces through educational programs. The first edition of its summer school took place in 2016: 40 young students from all over the world learned new skills rehabilitating a typical “ilha” (type of small housing units that were developed in the 19th for the working-class). For this project, Critical Concrete collaborated with the Junta de Freguesia do Bonfim, who helped them identify a relevant house to be refurbish, and with Habitar Porto.Samuel underlines that, in this process, one their main concern was the sustainability of the rehabilitation, the objective being to deliver a house that will be easy to preserve and fix in the future. 
  • Animating a socio-cultural space: Co-Lateral. One of the main activity of Critical Concrete during this year has been the refurbishment of their house, located near Francos metro station. The idea is to make Co-Lateral “the first production centre in the neighbourhood of Ramalde with co-working, co-building and co-living facilities.’Critical Concrete also wants to use this space to develop a wider social and cultural program in collaboration with the local community, with events “as summer screenings, dancing balls, football projections and markets, twisted with the social sciences, artistic actions and architectural experimentation.”. This is still a beginning work but movie nights have already started: the idea is that every session has a different theme (kung-fu, food, housing were the first 3) and participants vote among a selection of movies. 

A ambição da Critical Concrete é “fornecer uma forma alternativa de ensinar, aprender e criar arquitetura, arte e design”. Como explicou Samuel, o projeto é dividido em duas dimensões:

  • A reabilitação de casas ou espaços públicos socialmente relevantes através de programas educativos. A primeira edição da sua “summer school” aconteceu em 2016: 40 jovens estudantes de todo o mundo aprenderam novas competências pela reabilitação duma “ilha”, uma forma de casa típica desenvolvida no século XIX para a os trabalhadores. Neste projeto, a Critical Concrete colaborou com a Junta de Freguesia do Bonfim, que a ajudou a identificar uma casa pertinente a reabilitar, e com a Habitar Porto. Samuel sublinhou que neste processo, uma preocupação importante foi a sustentabilidade da reabilitação, o objetivo era entregar uma casa cuja preservação seja fácil.
  • A animação dum espaço sociocultural: o Co-Lateral. Uma das principais atividades da Critical Concrete durante este ano foi a remodelação da sua casa, que fica perto da estação de metro Francos. A ideia é tornar o Co-Lateral “no primeiro centro de produção no bairro de Ramalde com instalações de co-working e de co-construção.” Como explicou Samuel já começaram a organizar oficinas de construção. A Critical Concrete também quer usar esse espaço para desenvolver um programa social e cultural maior, em colaboração com a comunidade local, com eventos “como exibições de verão, bailes, projeções de futebol, mercados, ligados com as ciências sociais, acções artísticas e experimentação arquitetural.”. Isto ainda está a começar, mas já podem assistir às suas noites de cinema: a ideia é que cada sessão tenha um tema diferente (kung-fu, comida, habitação foram os três primeiros) e os participantes votam no início entre uma seleção de filmes.

 

Contactos: 

mail@criticalconcrete.com

Rua Direita de Francos, 1024, Porto

http://criticalconcrete.com/

https://www.facebook.com/criticalconcrete/?fref=ts

 

The Worst Tours

The Worst Tours is a collective of 3 architects of Porto, Gui, Pedro and Isabel, organizing alternative tours of their city. They started these tours in an informal way in the end of 2012, as a response to the “economic destruction” of the city, with the impacts of the 2008 crisis and the austerity measures that followed. The idea is to question the urban and social effects of national and local policies: austerity, support to tourism etc, by proposing tours of Porto to locals and foreigners. It is also a way to show to tourists the parts of the city that are outside of the city center, with a political approach.

We already talked about the Worst Tours when I made one with Gui, and this is precisely this critical approach of urban policies that made us think it would be intersting to invite them. For our movie night it was Pedro, “expert of the town history” and “activist“, according to his own presentation, who came to present the project and some of their convictions, like the fact that it is not economically sustainable, socially relevant and democratic that important amounts of public money be spend to support the tourism industry and private hotels or the one that ilhas can be a part of the solution to fight gentrification of the city center. 

As The Worst Tours são um coletivo de 3 arquitetos do Porto, Gui, Pedro e Isabel, que organiza visitas alternativas à cidade. Eles iniciaram essas visitas de forma informal no final de 2012, como resposta à “destruição económica” da cidade, com os impactos da crise de 2008 e as medidas de austeridade que se seguiram. A ideia deles é questionar com locais e estrangeiros os efeitos urbanos e sociais das políticas nacionais e locais: austeridade, apoio ao turismo, etc… É também uma maneira de mostrar aos turistas a cidade, independentemente da beleza, mas de uma forma política, as áreas que ficam fora do centro da cidade.

Já falámos sobre as The Worst Tours quando eu um passeio com a Gui, e é precisamente esta abordagem crítica das políticas urbanas que nos fez pensar que seria interessante convidá-los.  No nosso evento foi Pedro, “especialista da história da cidade” e “ativista”, segundo a sua própria apresentação, que veio apresentar o projeto e algumas das suas convições, como o fato de que não é economicamente sustentável, socialmente relevante e democrático que quantidades importantes de dinheiro público sejam gastas para apoiar a indústria do turismo e hotéis privados ou o que as ilhas podem ser uma parte da solução para combater a gentrificação do centro da cidade.

img_7824
Pedro, the Worst Tours

A few months ago, they settled down their activity in a “kiosque”, rented from the City Hall, near the Jardim San Lazaro, which allows them to adress directly people in the street, don’t hesitate to go and meet them there to know more about the project ! 

Há alguns meses, eles estabeleceram a sua atividade num quiosque alugado à Câmara Municipal, perto do Jardim de São Lázaro, o que lhes permite falar diretamente às pessoas na rua. Não hesitem em ir lá e encontrá-los!

img_6195

Contactos: 

theworsttours@gmail.com

http://theworsttours.weebly.com/

https://www.facebook.com/The-Worst-Tours-132385580250450/?fref=ts

 

Education of citizens

Educação dos cidadãos

Inducar 

Inducar is a network of professionals of education, social and cultural intervention that has developed various activities that can be divided into 3 categories: formation (ex:“Intercultural communication”, “Portuguese language”, “Gender equity”), consulting for clients and projects with other partners. 

A Inducar é uma rede de profissionais de educação, intervenção social e cultural que desenvolve várias atividades que podem ser divididas em três categorias: formação (ex: “Comunicação Intercultural”, “Língua Portuguesa”, “Equidade de Género”), consultoria para clientes e projetos com outros parceiros.

Example of a project : “Retratos das Ilhas”

One of current Inducar’s projects is called “Retratos das Ilhas” and focuses on the ilhas of Bonfim. The idea is to use arts, photography and theater, to involve the inhabitants in the expression of what is an ilha to them and in the recognittion of ilhas as part of the patrimony of the city. In this projectm Inducar works in partnership with the theater association Pele, the Portuguese Photography Center and the Junta de Freguesia do Bonfim. I (Anouck) am part of the theater group and will probably talk more about this project in the future. 

Um dos projetos atuais da Inducar é chamado “Retratos das Ilhas” e concentra-se nas ilhas do Bonfim. A ideia é usar as artes, a fotografia e o teatro, para envolver os habitantes na expressão do que é uma ilha para eles e no reconhecimento das ilhas como parte do património da cidade. Neste projecto a Inducar trabalha em parceria com a associação de teatro Pele, o Centro Português de Fotografia e a Junta de Freguesia do Bonfim. Eu (Anouck) faço parte do grupo de teatro e provavelmente falarei mais sobre este projeto no futuro.

retratos

See more: 

https://www.facebook.com/retratosdasilhas/?fref=

The common basis of its interventions is the use of non-formal education:

A base comum das suas intervenções é o uso da educação não-formal:

A mix of diverse methods of development and learning, in which people are challenged to use a critical and reflexive attitude on their own experience (professional or personal).” Inducar

Uma mistura de diversos métodos de desenvolvimento e aprendizagem, em que as pessoas são desafiadas a usar uma atitude crítica e reflexiva sobre a sua própria experiência (profissional ou pessoal)”. Inducar

The idea of empowering people by leading them to question their own experiences was illustrated by Susana Constante Pereira, Inducar’s president, when she asked us to reflect about our level of “acting responsible” in our daily life, as well as the one of our social circle. 

A ideia de capacitar pessoas, levando-as a questionar as suas próprias experiências foi ilustrada por a Susana Constante Pereira, a presidente da Inducar, quando ela nos pediu para refletir sobre o nosso nível de “agir responsável” na nossa vida, bem como no nosso círculo social.

img_7806
Susana Constante Pereira
img_7801
” How you would you evaluate yourselft in relation to the movie?”

 

According to her, Inducar can contribute to the the shift to a more locally-centred, connected and sustainable world by giving people tools to question and change their behaviors, through innovative learning methods. 


These 6 projects are very different, by their status, objectives and means, but they all try to involve and empower citizens, giving them tools to have a positive impact on their local community and environment. They also are good illustrations of how public institutions and associations can work together to acheive common goals, even if a lot is still to be done in order to face powerful market processes that threaten the development of urban agricultural spaces and contribute to the ongoing desertification of the city center by locals and disadvantaged people. 

Estes seis projetos são muito distintos, pelos seus estatutos, objetivos e meios, mas todos tentam incluir e capacitar os cidadãos, dando-lhes ferramentas para terem um impacto positivo na sua própria comunidade, bem como no seu ambiente. Também são bons exemplos de como as instituições públicas e as associações podem trabalhar em conjunto para alcançar objetivos comuns, mesmo que ainda haja muito a fazer para enfrentar os poderosos processos de mercado que ameaçam o desenvolvimento de espaços agrícolas urbanos e que contribuem para a contínua desertificação, quer por moradores e sobretudo por pessoas desfavorecidas, no centro da cidade.

This week, the choice of the concluding song was not too time-consuming, here is the official music of the movie, “Tomorrow” by Fredrika Stahl, on a video of our own: 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

w

Connecting to %s